terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Feitiço da Noite - Parte 2

Feitiço da Noite - Final

Aviso: Oiie Pessoal!Essa segunda é última parte da one-shot, espero que tenham gostado da história.Beijos e até mais *--*


     Depois daquilo passaram-se semanas e nada de ela me falar sobre o vampiro, segundo ela estava colhendo informações para mim e que eu devia me acalmar, já que a vingança é um prato que se come frio.     Confesso que nesses últimos dias eu consegui perceber que aquela vampira fria, não era totalmente assim tinha um lado que chegava a ser amável, ela cuidou de meus ferimentos até eu me recuperar por completo, me dava atenção e mostrava gentileza e uma ponta de preocupação, mas continuava com o rosto sem expressão. Lógico que com a morte dos meus pais eu não ia mais a escola, a polícia me deu como desaparecido.Como não tinha outra opção eu ficava em casa com ela que só saia a noite.Elle me ensinou muitas coisas sobre vampiros e me entregou uma adaga de prata banhada em água benta.
— Isso é uma das poucas coisas que pode nos ferir, leve-a sempre com você — disse ela, em um tom sério.Me sentei em uma poltrona pensativo, ainda não me recuperei do trauma, Elle estava no sofá deitada lendo um livro, indiferente á minha presença.Mesmo com meus pensamentos confusos com a morte, o ataque e o contrato, passei a observa-la Elle Rozenveld com certeza era integrante ás vezes fria e sádica, outras amável e preocupada, o que me deixava a pergunta:Qual era a verdadeira Elle? Ela me encarou e perguntou:
— Algum problema Castiel?
— Não, que dizer sim. Tenho uma pergunta para você — falei receoso, ela se sentou.
— Diga.
— Você só sai à noite, disse que o Sol era prejudicial á você, mas o que tanto faz a noite?
— Eu disse que te ajudaria, estou colhendo informações sobre o assassino de sua família.
— Isso eu sei, mas só faz isso?A noite inteira? — perguntei a fitando, ela se tencionou um pouco.
— Eu vou caçar Castiel, eu preciso de sangue para viver, sou uma vampira não se esqueça. Sim, ela era um vampiro o mesmo tipo de monstro que matou meus pais, e eu aqui igual um idiota pensando que seria diferente.
— Ha, ha, ha!Era de se esperar não é?! — falei, me levantando — Você... Não passa de uma vampira, uma sanguessuga! Ela não se alterou em nada e isso que me deixava com mais raiva.
— Eu sou uma vampira o que esperava?Que me alimentasse de doces? — perguntou com um tom sarcástico. Aquilo me subiu a cabeça.
— Isso!Você não passa de um monstro, você não é diferente dele! — gritei exasperado, pensei que ela fosse me mandar calar a boca ou algo assim, mas por um momento sua feição e seu olhar se entristeceram se tornando negros como eu nunca tinha visto, mas logo se recuperou. Eu ri mais uma vez sem vontade — Eu vou procura-lo e mata-lo não preciso de você.
— Você é um vassalo muito rebelde — disse ela, com um sorriso cruel. É eu tinha me esquecido desse detalhe.
— Ah então a minha ''mestra'' não vai permitir que eu saía?Esqueci que sou seu boneco — falei debochado. Seu olhar se endureceu.
— Faço o que quiser — disse ríspida. Não perdi tempo peguei adaga enfiei no casaco e saí pelas ruas escuras da cidade.Estava decidido a acabar com isso.Andei por horas e começava a chover.Tsk!Procurei pela cidade toda e nada de eu encontrar aquele maldito. Entrei em um beco que dava acesso ao metro, senti o ar ficar frio e meu corpo se arrepiar, não, não era pelo frio era mesma sensação daquela noite. Ele estava perto!Parei e fiquei olhando para os lados, passei a mão pela adaga que se encontrava no bolso do casaco, meu coração estava acelerado, mas não iria dar para trás não agora!Um vento forte bateu e ele apareceu na minha frente, com a luz dos postes pude vê-lo era um pouco mais alto que eu, olhos rubros, cabelos negros com uma expressão sarcástica. Ele sorriu e logo pareceu atrás de mim, peguei a adaga e tentei acerta-lo ele riu desviando.
— Ha, ha, ha!Humanos... Vocês são umas graças — disse ele. Não me importei e investi para cima do mesmo, que desviou novamente, mas dessa vez segurou a gola da minha camisa e me lançou com força contra parede, caí, mas logo levantei como se aquilo não fosse nada, que estranho!Avancei outra vez não desistiria tão fácil ele vai pagar por tudo. Ele desviou da adaga, mas consegui acertar um chute bem no seu estomago, desferi um golpe com a adaga rente ao seu rosto, mas o mesmo se esquivou, no entanto eu tinha conseguido feri-lo e o sangue escorria.
— Já chega!Pensei em brincar com você, maldito um lixo humano me ferindo, imperdoável — vociferou ele com raiva, suas presas estavam expostas e seus olhos cintilaram como um de um felino prestes a atacar. Antes que eu pudesse me mover ele já estava atrás de mim acerto um chute que fez voar, tentei me levantar, mas ele acertou outro chute, seguido de vários, senti o gosto de sangue na boca e fortes dores, ele parou e começou a rir.
— Humanos são tão frágeis, que vergonha eu pensei que você queria se vingar de mim, mas parece que só veio ser meu banquete, pelo menos me poupou trabalho de ficar lhe procurando, sabe aquela outra vampira estava te protegendo todo esse tempo, eu não sei o quão forte ela é, mas aquela aura que ela exibe é realmente assustadora.
    Protegendo-me?Logo ela?Só pode ser brincadeira, pensei. De repente senti uma energia um tipo de ''força'' vindo de dentro de mim, aqueles ferimentos não doía mais e me senti mais poderoso, fui me levantando Cipris apenas me olhava com a sobrancelha arqueada.
— Como?Você devia ter diversos ferimentos interno então como se levantou? Não me diga que... — antes que ele terminasse dei um soco em seu rosto com tanta força que o fez cair no chão e seu sangue escorrer.Avancei mas ele já não estava mais ali, estava atrás de mim e desferiu um soco que consegui desviar.Continuamos nesse impasse.
Elle POV ON
    Aquele rebelde e idiota!, Pensei. Enquanto saltava pelos prédios em busca de Castiel, já era quase madrugada e tinha começado a chover, legal.Quando eu achá-lo vou fazer pedacinhos dele.Eu lhe dou parte do meu poder e assim que me agradece?Humanos são ingratos mesmo. Adiantou muito eu ter protegido ele nessas últimas semanas, por isso não deixei que saísse sabia que Cipris estaria espreitando, senti uma aura assassina um pouco à frente.Achei.
Elle POV OFF
   Quando pensei que seria atingido nada aconteceu levantei os olhos e vi, a figura esbelta de costas para mim segurando a mão do outro vampiro em um movimento rápido a mesma o lançou contra a parede com tanta força que a parede se quebrou.
— Ora, ora meu vassalo rebelde está levando uma corça não é?Eu avisei — disse ela, se virando para mim com os olhos cintilantes e sorriso pretensioso.
— O que faz aqui? — perguntei.
— Tentando evitar que morra — respondeu. O outro vampiro se levantou e eu fiquei alerta novamente e fui para o lado dela que se virou para ele.Ele sorriu puxando uma espécie de katana.
— Entendo por isso ele se recuperou de meus ataques parece que você o transformou em seu vassalo, ou melhor dizendo familiar — disse Cipris.
— Pois é....O que me faz pensar, quem você pensa que é para atacar o MEU vassalo? — indagou ela. Cipris não disse nada por um momento pensei ter visto receio ou até medo em seus olhos.
— Não brinque comigo garotinha — vociferou ele, correndo em nossa direção.Ele atacou com a katana e ela desviou com facilidade, por algum tempo ele continuou atacando e ela desviando, não parecia que Elle tinha intenção de ataca-lo.
— Ei Castiel o que está fazendo? — perguntou ela, enquanto desviava.
— Como? — perguntei.
— Você não queria vingança? — perguntou Elle — O que está esperando garoto?
— Você tem razão — concordei. Ela sorriu e saiu do caminho, empunhei a adaga, Cipris me encarou, seu olhar era furioso, ele não parecia um vampiro estava mais para um animal feroz e descontrolado, avançou com uma velocidade que um humano não podia acompanhar
— Fique tranquilo você tem meu poder — ouvi a voz de Elle. Fiquei firme, sim eu podia ver todos os seus movimentos e era capaz de desviar sem dificuldade, ele virou a katana pela direita eu desviei, ele girou a mesma e atacou por baixo eu parei o ataque, girei o corpo e consegui cravar a adaga em seu peito, ele soltou um grito que mais parecia um ganido, sua katana caiu, seu rosto começou a literalmente se quebrar em seguida ele virou pó que foi levado pela água da chuva, restando apenas suas roupas e katana. Eu realmente matei aquele vampiro.
— Bom trabalho.Cipris se foi para sempre — disse Elle.
— Acabou — falei, meio ofegante.Elle estava ao meu e pareceu estar ''longe'', perdida em seus pensamentos, ela sorriu de leve e virou-se para mim.
— Sim, acabou...Castiel você está livre — disse ela, se virando e saltando para o alto do prédio, eu não entendi onde queria chegar — O contrato não está afirmado de verdade, como não bebi seu sangue contrato não tem validade.Ela me fitou — Se quiser posso apagar sua memória e não se lembrará de nada que envolveu Cipris ou á mim, você pode voltar a ter uma vida normal Castiel. Eu fiquei surpreso, ela suspirou e virou-se para ir embora.
— Espere — falei, indo até ela.
— O que foi? — perguntou.
— Eu não quero esquecer de nada disso e não quero voltar para minha vida ''normal'', desde que encontrei Cipris soube que não teria volta, mesmo que apagasse minha memória eu nunca seria o Castiel de antes, então quero seguir junto á você.
— Tem certeza? — indagou — Você sabe que se eu te morder você se tornará um vampiro e meu vassalo, não é algo que tenha volta.
— Eu tenho — respondi firme. Ela sorriu e foi o primeiro sorriso que vi que não era sarcástico, ou falso, era verdadeiro.Ela se aproximou, ficando a centímetros de distância de mim, eu podia sentir sua respiração calma se misturando a minha que estava descontrolada.
— Tudo bem Castiel se quer assim, vamos selar definitivamente o contrato — falou ela, se aproximando cada vez mais, nossos rostos estavam ''colados'' um no outro, eu me perdia naqueles olhos vinhos.Ela passou seus braços em volta do meu pescoço, e meu coração acelerou descompassado, eu corei.Ela virou rosto em direção ao meu pescoço e sussurrou: ''Agora você é meu querido Castiel, pela eternidade'', segundo depois senti uma dor como se uma agulha tivesse sido cravada em meu pescoço, seus braços se apertaram a minha volta e eu a abracei forte.
    Foi assim que virei um vampiro.Hoje corro pelo mundo ao lado de uma misteriosa e linda vampira, sim a minha vampira.
    Meu nome? Castiel. Idade? 17 anos. Raça? Vampiro.

Fim



NADA DE PLAGIAR, REBLOGAR OU COPIAR AQUI NESTE BLOG! É CRIME!

2 comentários:

  1. Ai, desculpa eu não ter comentado antes
    ESSA ONE-SHOT ENORME FICOU LINDA!
    Vc tem muito geito!
    Amei!

    ResponderEliminar